«

Exposição: “11º” – Fotografias de Ednaldo Baraka

cartaz

A Biblioteca recebe no hall de exposição “Dalton Belmudes de Toledo”, entre 06/11/17 e 08/12/17, a mostra 11º, que reúne obras do fotógrafo piracicabano Ednaldo Baraka, com curadoria de Joyce Guadagnuci. As fotografias são registros artísticos de personagens anônimos em seu cotidiano na movimentada Armando Salles de Olveira, uma das principais avenidas de Piracicaba. A visitação é gratuita e aberta a todo o público.

Abaixo os textos de apresentação da mostra:

 

Do alto

Pelo 11º andar eu vejo o mundo. Em cada recorte da rua eu sinto o tempo, o tempo denegado da fotografia, aquele que tira o que eu preencho com meus olhos de observadora. Um convite ao voyerismo de cima, em plongé, mas sem nenhuma conotação sexual. Estou sempre no alto, mergulhando como uma águia à procura de peixes no mar. Este é o meu prazer. Em cada fotografia uma narrativa vertical me afeta, me fere, como num punctum barthesiano. Olho dentro da cena e dentro de mim pelo olhar indiscreto do fotógrafo que cuida de cada composição como quem cuida de algo que lhe é muito caro, talvez o tempo, o seu tempo, que é a matéria da fotografia, assim como a luz, é claro! O que dizer da luz destas imagens? O dia vira noite. Os seres de “11º” são diurnos, mas na imaginação do fotógrafo parecem tomados pela noite. O que me remete a uma frase do filósofo Jean Paul Sartre: “Imaginar é dar ao imaginário um pedaço de real para roer”. O fotógrafo alimenta meu imaginário com recortes da realidade “roídos” pelo domínio completo da luz, que ora se multiplica em sombras como fantasmas do tempo, ora se expressa em cores pinceladas no real da existência cotidiana da rua. As fotografias de Ednaldo Baraka me fazem lembrar e esquecer da massacrante rotina, me jogam para dentro, num mergulho cego, mas me devolvem para a superfície com um peixe na boca, feliz pela conquista, cheia de lucidez e pronta para próxima aventura.

Joyce Guadagnuci
Curadora

 

11º

Uma vertigem, depois uma necessidade desesperadora de repousar o corpo em algum canto da sala, de preferência com as costas contra uma parede bem longe daquela janela. Foi essa a primeira experiência no 11º andar do Edifício Rita Holland, no coração de Piracicaba. O ano era 2013, começo de novembro. Este relato soaria exagerado não fosse meu medo de altura. Tempos depois começaria minha aventura de cima. Com um ombro apoiado no lado de dentro da janela, os joelhos dobrados um pouco, permitindo assim que meu peito ficasse acomodado na base. Com o tempo fui ganhando confiança e já colocava meio corpo para fora para explorar mais a Salles. Mas sempre com o medo de altura me acompanhando, minha 60D e uma teleobjetiva com um foco caótico. A Armando era uma tela gigante a ser explorada. Às vezes me espantava como as pessoas lá embaixo se encaixavam nas composições “automaticamente”, mas fui surpreendido um dia quando travei o foco num carro, e lá de dentro uma garotinha acenou para o meu “rifle”. Recuei assustado, não conseguindo registrar o momento. Foi a única vez em que me notaram. Muitas vezes eu ficava horas a fio, esperando o momento certo, em outras eu tinha uma ideia na cabeça; certa vez, influenciado por Frédéric Chopin, mais precisamente ouvindo “Nocturne in E flat Major Op. 9 Nº 2”, num misto de percepção e sorte, registrei um piano urbano lá embaixo. Vi a Alice caminhando pela Armando Salles, uma sombra alongada a sua frente; em outro momento dois homens numa esquina, uma simplória inspiração daquela obra conhecida de Edward Hopper. E foi assim, com o passar do tempo, mais íntimo eu ficava da Salles e seus personagens. Eu não fotografava pessoas, eu me fotografava nelas.

Ednaldo Baraka
Fotógrafo

img_20171106_170321

“11º” – Exposição aberta entre 06/11 e 08/12

_dsc1351-editfnal2

por Ednaldo Baraka

_mg_3978-editarfinalcombordabranca2

por Ednaldo Baraka

_mg_93842b2

por Ednaldo Baraka

 

Serviço:

Exposição: “11º”

Fotógrafo: Ednaldo Baraka

Curadora: Joyce Guadagnuci

Período: 06/11 a 08/12, de segunda a sexta, das 08h às 18h.

Local: Hall de Exposição “Dalton Belmudes de Toledo”, na Biblioteca Municipal “Ricardo Ferraz de Arruda Pinto”. Rua Saldanha Marinho, 333, Centro, Piracicaba.

Informações: 3433-3674

Entrada gratuita

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>