História

Cronologia: uma história itinerante

Parte da vida piracicabana há 80 anos, a Biblioteca Pública Municipal, criada em 1939, pelo prefeito Ricardo Ferraz de Arruda Pinto, foi a primeira do interior do Estado de São Paulo. Foi instalada em duas salas da antiga Câmara Municipal, onde ficou apenas um ano. A partir daí, foi transferida para diversos endereços, até possuir prédio próprio na Saldanha Marinho.

1939 – Criada no dia 02 de maio de 1939, pelo Ato 142 e inaugurada no dia 30 de maio. Ocupou duas salas no antigo Paço Municipal, na Rua Alferes José Caetano, esquina com a Rua São José. Atualmente, no espaço funciona o estacionamento da Câmara Municipal. O acervo inicial se constituía de 873 livros registrados. Os primeiros trabalhos foram realizados pelo bibliotecário da ESALQ Israel Gil e pelo professor Leandro Guerrini, que foi diretor do espaço por 28 anos.

1940 a 1945 – Instalada à Rua Governador Pedro de Toledo, esquina com a Rua Prudente de Moraes, em prédio que havia abrigado a Universidade Popular de Piracicaba e a Escola Prática de Contabilidade Moraes Barros. Esse prédio foi demolido posteriormente, dando lugar ao Clube Cristovão Colombo. Atualmente, o espaço abriga atividades da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Atividades Motoras (SELAM).

1945 a 1952 – Transferida em abril de 1945 para o andar superior do Teatro Santo Estevão, que se localizava no Largo do Teatro, Rua São José, aproximadamente onde hoje é o coreto da Praça José Bonifácio.

1952 a 1965 – Ocupou um casarão na Rua Voluntários de Piracicaba, esquina com a Rua Alferes José Caetano. Esse prédio, assim como todos os endereços anteriores da Biblioteca, também foi posteriormente demolido. No local funcionou a Delegacia de Ensino Secundário e Normal e depois o Colégio “João Wesley”. Atualmente, no endereço funciona uma galeria comercial.

1965 a 1974 – Instalada à Rua Prudente de Moraes, nos andares superiores do prédio que dividia com a Imprensa Oficial. Em agosto de 1972, a seção infantil e o acervo de jornais e revistas foram transferidos para um prédio alugado na Rua Alferes José Caetano, ficando na Prudente apenas o acervo geral. Dessa forma, a Biblioteca passou a funcionar em dois endereços simultaneamente.

1974 a 1988 – Os dois acervos foram unificados quando da mudança para um prédio alugado na Rua Moares Barros, próximo à Rua do Rosário. Atualmente o local abriga uma repartição do Tribunal de Justiça de São Paulo.

1989 a 1994 – Transferida para o prédio do antigo Fórum Francisco Morato, na Rua do Rosário, em que dividia o espaço com o Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba e a Academia Piracicabana de Letras. Pela Lei Municipal nº 3303, de 02 de julho de 1991, a Biblioteca foi denominada Biblioteca Pública Municipal “Ricardo Ferraz de Arruda Pinto”, em homenagem ao seu fundador.

1994 a 2010 – Mudança para antigo prédio da Prefeitura Municipal, na Rua do Rosário, esquina com a Rua São José. Nesse espaço foi inaugurada a Biblioteca Infantil, denominada oficialmente “Thales Castanho de Andrade”, pela Lei nº 4464, de 27 de maio de 1998. Atualmente, o local funciona como prédio anexo da Câmara Municipal.

2010 – Em 29 de outubro, após setenta e um anos de uma história itinerante e ocupando endereços provisórios, a Biblioteca Pública Municipal “Ricardo Ferraz de Arruda Pinto” inaugurou prédio próprio, projetado especificamente para esse fim. Atualmente, a Biblioteca possui um acervo de mais de noventa e seis mil volumes e dezoito mil usuários cadastrados.

*As informações desta página foram coletadas em notícias e reportagens de jornais piracicabanos, que estão disponíveis para consulta na hemeroteca da Biblioteca Municipal.

Ricardo Ferraz de Arruda Pinto

Piracicabano nascido em 1º de fevereiro de 1887, Ricardo Ferraz de Arruda Pinto tem sua trajetória ligada à vida política e cultural da cidade. Filho de Bento e Ana Cesar Ferraz de Arruda, bacharelou-se pelo Colégio São Luiz, em Itú e cursou a Faculdade de Direito de São Paulo.

Por um erro de diagnóstico médico, não conseguiu concluir seu curso superior. Retornou à casa dos pais, dedicando-se à administração das fazendas da família. Em 1936 assume o Cartório de Registro Civil da Vila Rezende, quando também é eleito conselheiro Municipal pelo Partido Republicano. Dois anos depois em 1938, o Interventor Estadual, Dr. Adhemar Pereira de Barros, o nomeia para o cargo de prefeito do município, exercido até 1940, quando assume como titular Tabelião do 3º Cartório de Notas de Piracicaba.

Preocupado com cultura e educação, enquanto prefeito, seu primeiro ato foi criar duas escolas: a de Ibitiruna e a Dr. João Conceição. Depois criou o Diretório Municipal de Geografia.

No entanto, seu ato administrativo marcante, foi o de nº 142, de 2 de maio de 1939, criou a Biblioteca Pública Municipal. Instalada com a colaboração de Israel Gil, Bibliotecário da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, teve como seu primeiro diretor Leandro Guerrini, pesquisador e historiador que por anos dedicou-se àquele acervo.

Ricardo Ferraz de Arruda Pinto esteve a frente de inúmeros cargos e funções sociais, administrativas e políticas, além de ter sido revolucionário em 1932, recebido a comenda “Hugo Sola” a Medalha de Mérito Revolucionário e a Medalha do Bicentenário de Piracicaba. Faleceu aos 81 anos, em 22 de outubro de 1968, deixando um relevante legado à população. Foi somente em 1991, que pela lei nº 3.303, se denominou ” Ricardo Ferraz de Arruda Pinto”, a Biblioteca Pública Municipal de Piracicaba.

3 comentários

Nenhuma menção ainda

  1. Renato Ferraz de Arruda Veiga disse:

    Orgulho imenso em ser seu neto!

  2. SOLANGE LEONESSA FERRAZ DE ARRUDA disse:

    SAUDADE DE VC VOVO,EU TE AMAVA MUITO!

    1. Dante Oliveira disse:

      Nós também sentimos !!!

Deixe uma resposta para Dante Oliveira Cancelar resposta

Seu e-mail não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>